sábado, 3 de novembro de 2012

SEMINÁRIOS - PROJETOS INTEGRADORES!!!! CAMPUS SERTÃO

Meus queridos e queridas, que além da apresentação do Seminário e exibição do vídeo elaboraram uma paródia musical, quanta CRIATIVADADE!

Paródia: Voltei a Estudar (JÁ SEI NAMORAR - OS TRIBALHISTAS)

[2] Uh uh uh uh uh uh uh
Uh uh uh uh uh uh uh

Voltei a estudar
E na primeira aula
O professor veio informar
Que estava ali
Para facilitar minha vida e
Eu sou aprendiz.

Que a aprendizagem há interação
Entre ele, o aluno e a direção.
Esclareceu bem
Que nossa parceria
É necessária também
Esclareceu bem,
Que sem uma mediação
Não somos ninguém.


[2] Uh uh uh uh uh uh uh
Uh uh uh uh uh uh uh

Vamos dialogar
Discutir o conteúdo
Aprender a criticar
Não existe aqui
Professo ser obstáculo e
Travar o aprendiz
A inter aprendizagem contribui muitão
Foi trocando experiência que aprendia a lição
Esclareceu bem
Que precisamos ser adultos
Em aula também
Esclareceu bem
Que sem responsabilidade
Nós não somos ninguém.

[2] As expectativas vão ser atendidas
Só precisamos de interação
Seguindo apenas algumas regrinhas
Os aprendizados a nós chegarão


[2] Uh uh uh uh uh uh uh
Uh uh uh uh uh uh uh

GRUPO: Audrey, Ghennyf, Giseliane, Kátia, Larissa e Maria Regiane.



39 comentários:

ildacy mutty disse...

Quando tinha uns 20 anos, o primeiro contato que tive com um computador foi na casa de um paquera da policia militar, ia lá sempre jogar o mário, antes disso nunca tinha tido contato com um meio tecnológico, nem mesmo o telefone, pois sempre fui de família simples e não tínhamos condições, o mínimo que usávamos era uma carta, neste tempo existia o telegrama e era muito caro, a únca alternativa era a carta e sem ser registrada, lembro-me que era muito bom teclar, mesmo que caçando as letras, mas aquela tecnologia me fascinava, e queria me viciar, mas como? Se o fisesse não poderia usar pois estava longe do meu alcance. até o momento não sabia exatamente para que era útil, somente quando comecei a fazer trabalhos escolares e pesquisas foi que teve maior signifcação pra mim. tive alguns problemas com a tecnologia por ter pouca experiencia com o aparelho, porem com o tempo soube usar de forma adequada, porém uso pouco, somente quando preciso, não deixo que esta técnica me controle ou me vicie.hoje ficou tudo mais fácil, pois qualquer dúvida que antes recorríamos a um dicionário, ou a um jornal para pesquisa podemos fazer por meio das tecnologias, como o computador, os sites e a internet.

ildacy mutty disse...

Quando tinha uns 20 anos, o primeiro contato que tive com um computador foi na casa de um paquera da policia militar, ia lá sempre jogar o mário, antes disso nunca tinha tido contato com um meio tecnológico, nem mesmo o telefone, pois sempre fui de família simples e não tínhamos condições, o mínimo que usávamos era uma carta, neste tempo existia o telegrama e era muito caro, a únca alternativa era a carta e sem ser registrada, lembro-me que era muito bom teclar, mesmo que caçando as letras, mas aquela tecnologia me fascinava, e queria me viciar, mas como? Se o fisesse não poderia usar pois estava longe do meu alcance. até o momento não sabia exatamente para que era útil, somente quando comecei a fazer trabalhos escolares e pesquisas foi que teve maior signifcação pra mim. tive alguns problemas com a tecnologia por ter pouca experiencia com o aparelho, porem com o tempo soube usar de forma adequada, porém uso pouco, somente quando preciso, não deixo que esta técnica me controle ou me vicie.hoje ficou tudo mais fácil, pois qualquer dúvida que antes recorríamos a um dicionário, ou a um jornal para pesquisa podemos fazer por meio das tecnologias, como o computador, os sites e a internet.

Janailda Oliveira disse...

Na minha opinião todo professor deveria ser um facilitador/mediador para que possa haver uma interação desse professor com a turma acontecendo uma troca de comunicação, conhecimento e experiencias vividas. Para que possa tornar seus alunos pessoas críticas capazes de discutir, dialogar e trocar experiencias todos juntos como cita a paródia das meninas.

Anônimo disse...

Dayse Maria de Souza Morais
O papel do professor vem se modificando acompanhando a modernidade e quanto mais o tempo passa eles veem a necessidade de se modificar e a metodologia aplicada em sala de aula. Alguns professores se modificam outros não, deixam de lado o modo de ensino autoritário do professor tradicional onde não há troca de informações somente transmissão do conteúdo, que não é suficiente e surgi então a necessidade de um professor criativo e diferente, sendo o ideal este facilitador e mediador que proporciona uma melhoria na qualidade do ensino aprendizagem, pois, permiti a troca de experiências, e que neste processo ambos o professor e aluno ensinam e aprendem ao mesmo tempo.

ildacy disse...

O professor tem que horas ter um pouco do facilitador/mediador outras vezes tradicional com relação a avaliação da aprendizagem pois é muito complicado ser professor, tem alguns que não estão dispostos a facilitar e não estão preocupados com a aprendizagem do aluno, por outro lado quando tem professor responsável e preocupado com o processo de aprendizagem, muitos alunos gostam de abusar da "boa vontade do professor". É bem certo que ocorre a aprendizagem e uma relação de interação quando o professor se mostra como facilitador.

Mirian Amorim disse...

Atualmente ser professor vai muito além de se passar conteúdos como mera transmissão de conhecimento, quando passou a ser mediador/facilitador, fez do ensino um processo interativo de desenvolvimento pessoal e social onde o aluno passou a ser visto como sujeito portadores de saberes e competências

camila disse...

Um professor facilitador/mediador promove a interação e mobilização, com tais caracteristicas melhora signicadamente o dia a dia dos alunos, como tambem da escola. Ser um bom professor depende de muitos fatores que ligam todo processo escolar, que pode estimular e ao mesmo tempo desestimular o trabalho do educador.
A parodia que o grupo relizou é uma iniciativa legal que mostra a relação e a importancia de um professor mediador.

BeckCarvalho disse...

O professor deve ser mais do que um mero transmissor de informações. Ele, juntamente com os alunos, deve estabelecer atividades interacionais. Comunicação nunca é demais, por que de uma simples conversa podemos extrair experiências que no ajudem futuramente.
Portanto, o professor deve ser um facilitador/mediador perante as várias situações dentro da sala de aula, estimulando o aprendizado dos alunos.

jane cristina disse...

Um professor facilitador, pois o professor possuindo uma forma facilitadora de passar os conteúdos faz com que o aluno também facilite a sua aprendizagem e desenvolva os seus conhecimentos passando de um para o outro se interagindo entre ambos. Mas também não deve excluir totalmente forma de ser um professor tradicional, ou seja com algumas exigências impostas.

Maria de Lourdes disse...

Ser um professor facilitado e mediador hoje implica desenvolver nos sujeitos educandos ao maximo de suas possibilidadese esrtimula-los a iniciativas novas e espectivas de vida cada vez melhor, na busca de novos conhecimentos.É uma questão que estacendo discutida cada vez mais nas instancias da educação.

Anônimo disse...

O professor comprometido com a educação deve ser um facilitador/ mediador do saber, ou seja, uma pessoa que mostre os caminhos que seus alunos possam seguir os incentivando a buscar algo a mais, e não ser um detentor do saber onde ele é o único a ter conhecimentos.
Leandra Moraes

Jane Clécia Barros disse...

um bom professor e o facilitador/mediador onde ele desenvolve suas ativiade, em salas de aulas,com estrategias,tecnicas avalitivas, sempre tem que ter uma interação com os alunos, onde a aprendizagem seja significativa, pois os alunos e os professores devem trabalhar juntos. o professor facilitador e o mediado da apredizagem do aluno, e também dele mesmos, pois amedida que ele ensina ele adquere conhecimento.

Anônimo disse...

Roberta Freire Belizário...
É evidente que um professor mediador/facilitador, irá contribuir de maneira mais significativa no processo de ensino aprendizagem do aluno, pois quando o professor se faz presente, motivando os alunos, sempre pronto a auxiliar em qualquer dificuldade, a interação de ambos terá um resultado mas expressivo e satisfatório, o qual desta forma, possibilitara o aluno desenvolver-se de forma plena, adquirindo assim uma postura critica-reflexiva, tendo um olhar refletido para a sociedade. Sendo que, com este professor o aluno será reconhecido como um ser atuante e não um ser vazio que precisa ser preenchido de informações de forma mecanizada , sem dar ao mesmo possibilidades de interpretação e de posição frente a determinado assunto.

Anônimo disse...

Roberta Freire Belizário...
É evidente que um professor mediador/facilitador, irá contribuir de maneira mais significativa no processo de ensino aprendizagem do aluno, pois quando o professor se faz presente, motivando os alunos, sempre pronto a auxiliar em qualquer dificuldade, a interação de ambos terá um resultado mas expressivo e satisfatório, o qual desta forma, possibilitara o aluno desenvolver-se de forma plena, adquirindo assim uma postura critica-reflexiva, tendo um olhar refletido para a sociedade. Sendo que, com este professor o aluno será reconhecido como um ser atuante e não um ser vazio que precisa ser preenchido de informações de forma mecanizada , sem dar ao mesmo possibilidades de interpretação e de posição frente a determinado assunto.

Lila disse...

O professor facilitador/ mediador estimula a troca de conhecimento entre ele e os alunos, contribuindo para a criação de condições de estudo, debate, de perguntas, exposição de duvidas e solução de problemas como Masetto (2010) mostra e afirma que "o momento da aula é sumamente precioso pelo encontro entre professores e alunos...", ou seja, a interação entre ambos traz aprendizagens significativas em que o professor e o aluno são sujeitos do processo ensino - aprendizagem e não apenas transmissor de conhecimentos por meio de diversos conteúdos, só para cumprir o programa.

Lila disse...

Valmira
O professor facilitador/ mediador estimula a troca de conhecimento entre ele e os alunos, contribuindo para a criação de condições de estudo, debate, de perguntas, exposição de duvidas e solução de problemas como Masetto (2010) mostra e afirma que "o momento da aula é sumamente precioso pelo encontro entre professores e alunos...", ou seja, a interação entre ambos traz aprendizagens significativas em que o professor e o aluno são sujeitos do processo ensino - aprendizagem e não apenas transmissor de conhecimentos por meio de diversos conteúdos, só para cumprir o programa.

Lila disse...

1Valmira
O professor facilitador/ mediador estimula a troca de conhecimento entre ele e os alunos, contribuindo para a criação de condições de estudo, debate, de perguntas, exposição de duvidas e solução de problemas como Masetto (2010) mostra e afirma que "o momento da aula é sumamente precioso pelo encontro entre professores e alunos...", ou seja, a interação entre ambos traz aprendizagens significativas em que o professor e o aluno são sujeitos do processo ensino - aprendizagem e não apenas transmissor de conhecimentos por meio de diversos conteúdos, só para cumprir o programa.

Valmira disse...

O professor facilitador/ mediador estimula a troca de conhecimento entre ele e os alunos, contribuindo para a criação de condições de estudo, debate, de perguntas, exposição de duvidas e solução de problemas como Masetto (2010) mostra e afirma que "o momento da aula é sumamente precioso pelo encontro entre professores e alunos...", ou seja, a interação entre ambos traz aprendizagens significativas em que o professor e o aluno são sujeitos do processo ensino - aprendizagem e não apenas transmissor de conhecimentos por meio de diversos conteúdos, só para cumprir o programa.

ildacy disse...

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
CAMPUS DO SERTÃO
PEDAGOGIA 3° PERÍODO



PLANO DE AULA


Professores: Ildaci, Jane Clécia, Leandra, Marcela e Marilene.
Duração: 1h 20min

Tema:
Cartografia Cognitiva: Mapas do conhecimento para pesquisa, aprendizagem e formação docente.

Objetivos:
- Perceber a importância dos mapas para a área do conhecimento;
- Identificar os tipos de mapas cognitivos;
- Aplicar as técnicas de cartografia cognitiva;
- Verificar se o aluno aprendeu os conceitos dos mapas cognitivos através da dinâmica em grupo.

Conteúdos:
Capitulo 1 – O que é cartografia cognitiva e por que mapear redes de conhecimento?

• Por que cartografia cognitiva?
• O que são Mapas?
• O que são Mapas Cognitivos?
• Técnicas de mapeamento para construir redes de conhecimentos;
• Software de cartografia para construção de mapas;
• Mapas Cognitivos para o design da pesquisa e aprendizagem;
• Avaliando o processo de mapeamento;
• Refletindo sobre o que foi apresentado.

Metodologia:
Iniciaremos com uma aula expositiva com utilização de slides, onde será abordado o tema cartografia cognitiva e técnicas para mapear o conhecimento. Em seguida solicitaremos que a turma, se divida em três grupos. A cada grupo será entregue o texto “Aula, tempo e espaço de avaliação” e cada um irá desenvolver um mapa conceitual em 20 minutos. A socialização será apresentada por um integrante de cada grupo com duração de 10 minutos. Finalizaremos a aula com a dinâmica “caça ao tesouro”, onde os alunos terão que encontrar perguntas e respostas que estarão escondidas no espaço da sala de aula com direito a brindes.

Avaliação
Processual e contínua, através de observações durante as apresentações das atividades propostas, que se dará de acordo com o desempenho de cada aluno no processo de aprendizagem, como também através da dinâmica.

Referências
Okada, Alexandra, Org, Cartografia cognitiva: mapa do conhecimento para pesquisa, aprendizagem e formação docente. Cuiabá: KCM, 2008.
Masetto, Marcos T. (Marcos Tarciso), 1937 – O professor na hora da verdade: a prática docente no ensino superior – São Paulo 2010.

Irelânia disse...

Tomando como princípio os seminários apresentados, ficou perceptível que é de extrema importância para a aprendizagem do aluno a forma como o professor desempenha seu papel no ambiente escolar. Nesse sentido, a aprendizagem somente terá significado se o professor der significado, ou seja, ao invés de transmitir o conhecimento, contruí-lo juntamente com o aluno. É preciso superar essa visão de que somente o professor é dono do saber e que o aluno é apenas um ser passivo e incapaz de produzir conhecimento. Portanto, é essencial que o professor se veja como um facilitador da aprendizagem.

QUITÉRIA FERNANDES disse...

Com o passar dos tempos o professor vem tentando fugir dos moldes tradicionais, buscando modificar a sua maneira de ensinar, dando preferencia por uma sala de aula que se constitua em um espaço de troca de informação entre ele e o aluno, essa troca de informação entre ambos nem sempre acontece, pois alguns professores ainda continuam com o modelo do ensino tradicional, onde o professor deposita a informação e o aluno apenas recebe sem que haja uma interação. Seria muito significativo se todo professor fosse facilitado/mediador, pois este torna a sula mais dinâmica e atrativa, despertando assim o interesse do aluno em querer aprender mais. Oprofessor facilitador estimula o aluno no processo de ensino e aprendizagem fazendo com que o mesmo se torne um sujeito crítico na sociedade, pois é a partir da interação que o aluno constrói e reconstrói o seu conhecimento.

DCE disse...

Partindo e compartilhando das ideias apresentadas pela paródia, o professor facilitador, tem a preocupação de mediar o desenvolvimento pleno das capacidades de aprendizagens do sujeito, a partir de um processo continuo e interativo, estimulando o pensar crítico-reflexivo. Além disso, para esse educador o estudante não é visto como sujeito estático, sem características próprias, todavia, como um ser em constante movimento, possuidor de história, cultura e saberes exteriores a escola. Portanto, os aspectos sociais do aluno são tomados como referencia na relação ensino-aprendizagem.
Contudo, vale ressaltar, a existência de inúmeros fatores que também condicionam essa prática, e um destes, é a formação. É importante considerarmos a formação inicial e continuada do educador com elemento essencial a todo o processo educativo.
Nesta perspectiva, conforme avanços teóricos, no que diz respeito, ao entendimento real do significado de "educar", hoje, o mesmo constitui-se não como mera transmissão de conteúdo,mas como promotor da construção do conhecimento.
Para tanto, não podemos desconsiderar a importância do " tradicional", pois foi por meio deste que se percebeu a necessidade de mudança nos âmbitos educacionais.

Anderson Cordeiro Sandes disse...

Sempre gostei da concepção de HOFFMANN, de o professor ser o MEDIADOR. Pois também acredito que o mesmo não deve ser apenas o locutor e os educandos os "escutadores".

"Ou seja, o acompanhamento do processo de construção de conhecimento implica favorecer o desenvolvimento do aluno, orientá-lo nas tarefas, oferecer-lhe novas leituras ou explicações, sugerir-lhe investigações, proporcionar-lhe vivências enriquecedoras e favorecedoras à sua ampliação do saber." (Jussara Maria Lerch Hoffmann)

jane cristina disse...

Um professor facilitador, pois o professor possuindo uma forma facilitadora de passar os conteúdos faz com que o aluno também facilite a sua aprendizagem e desenvolva os seus conhecimentos passando de um para o outro se interagindo entre ambos. Mas também não deve excluir totalmente forma de ser um professor tradicional, ou seja com algumas exigências impostas.

Katarine de Araújo disse...

O mais interessante é que o professor/a seja facilitador/a/mediador/a, pois ao assumir esta postura o professor/a permite um planejamento/ação/aula participativa, onde o saber não é mais considerado propriedade única do/a professor/a, o que é mais importante nesta relação é a valorização da construção, a participação, o diálogo e a formação da consciência crítica dos educandos/as, estes/as deixam de ser meros/as receptores/as passivos/as de informação e passam a ser ativos/as na produção do conhecimento junto ao professor/a mediador/a/ facilitador/a.

DCE disse...

Partindo e compartilhando das ideias apresentadas pela paródia, o professor facilitador, tem a preocupação de mediar o desenvolvimento pleno das capacidades de aprendizagens do sujeito, a partir de um processo continuo e interativo, estimulando o pensar crítico-reflexivo. Além disso, para esse educador o estudante não é visto como sujeito estático, sem características próprias, todavia, como um ser em constante movimento, possuidor de história, cultura e saberes exteriores à escola. Portanto, os aspectos sociais do aluno são tomados como referencia na relação ensino-aprendizagem.
Contudo, vale ressaltar, a existência de inúmeros fatores que também condicionam essa prática, e um destes, é a formação. É importante considerarmos a formação inicial e continuada do educador com elemento essencial a todo o processo educativo.
Nesta perspectiva, conforme avanços teóricos, no que diz respeito, ao entendimento real do significado de "educar", hoje, o mesmo constitui-se não como mera transmissão de conteúdo,mas como promotor da construção do conhecimento.
Para tanto, não podemos desconsiderar a importância do " tradicional", pois foi por meio deste que se percebeu a necessidade de mudança nos âmbitos educacionais.

Ismaely Brandão disse...

O professor tem que ser facilitador e mediador, pois facilita a aprendizagem com aulas, dinâmicas e participativas. Dessa forma há uma interação proveitosa entre professor e aluno.

Ismaely Brandão disse...

O professor tem que ser facilitador e mediador, pois facilita a aprendizagem com aulas, dinâmicas e participativas. Dessa forma há uma interação proveitosa entre professor e aluno.

Suilamys Araújo disse...

O professor facilitador e mediador aborda os conteúdos com mais facilidade, tornando aprendizagem de seus alunos mais proveitosa,utilizando novos métodos de ensino, com isso o profesor e aluno tem mais interação e mais desenvolvimento do que com o professor tradicional.

comunicação diversa disse...

Tendo como ponto de vista que o professor mediador é sempre um professor facilitador, de forma que ele sabe interagir com seus alunos e consegue ver o tanto que cada aluno esta compreendendo o assunto, utilizasse de vários recursos para desenvolver o aprendizado do aluno, buscando em cada aula maneiras de aprimorar mais ainda o conhecimento do aluno e sempre o aluno será o foco nasala de aula. Pois para mim a formação do aluno é necessário um professor mediador, pois assim ele consegira passar tudo que aprendeu e aprende com seus alunos em cada aula apresentada, e o professor tem que evoluir com o tempo de maneira que as midias vem crescendo entre os alunos de maneira avaçaladora e é necessario esse aprimoramento com as midias para envolver os alunos em sala de aula. Adhja Lyllian

neide disse...

O professor mediador além de ser um educador é também um transmissor de conhecimento, ou seja ele é uma ponte entre o relacionamento aluno e aprendizagem.Pois o professor mediador faz com que o aluno seja um sujeito participativo, crítico no dia a dia de sua aprendizagem, como foi levantada essa questão na parodia realizada pelo grupo, e que nos leva a refletir sobre tais importância.

Severina dos Santos disse...

Considero importante o papel do professor mediador, pelo fato de oportunizar aos alunos expressarem suas ideias. São permitidos momentos de interação entre professor e alunos, e é através dessa interação dialógica que o conhecimento é organizado e sistematizado. Nesse processo, os alunos assumem o papel de aprendizes ativos e participantes, e isso é muito importante para que as dificuldades enfrentadas pelos mesmos, com o auxilio do professor, possam ser superadas. Desse modo, através da sua prática, o professor como mediador terá mais chance de desenvolver a criticidade nos seus alunos, formando sujeitos capazes de se expressar, de se colocar diante das mais variadas discussões.

Laíse Soares disse...


Diante todas as mudanças que vêem ocorrendo na sociedade nos últimos anos, há uma necessidade de se (re)pensar o papel do educador. Afinal qual o seu real papel? Qual a sua função na instituição escolar? É preciso que o professor deixe de ser um mero transmissor de conhecimentos, mas que sim seja um mediador no processo de ensino aprendizagem.
Podemos caracterizar o professor tradicional nos baseando em Paulo Freire quando retrata o termo da “educação bancaria”, pois neste ensino tradicional o professor é o detentor do conhecimento e deve transferi-los para seus alunos, ou seja, o educador exerce sempre um papel ativo, enquanto o educando está limitado a uma recepção passiva. Por outro lado, o professor mediador reconhece as experiências dos alunos, seus conhecimentos prévios que são significativos para sua formação. O professor mediador é um orientador dos processos que levam o educando construir seus conhecimentos. Tendo um papel fundamental, pois reconhece as necessidades de ambos os lados (professor-aluno), e interfere sempre que fundamental. Sendo, portanto, o conhecimento construído em conjunto, em forma de diálogo, o que caracteriza-o em um profissional essencial para o desafio do processo de ensino e aprendizagem.

Severina dos Santos disse...

Considero importante o papel do professor mediador, pelo fato de oportunizar aos alunos expressarem suas ideias. São permitidos momentos de interação entre professor e alunos, e é através dessa interação dialógica que o conhecimento é organizado e sistematizado. Nesse processo, os alunos assumem o papel de aprendizes ativos e participantes, e isso é muito importante para que as dificuldades enfrentadas pelos mesmos, com o auxilio do professor, possam ser superadas. Desse modo, através da sua prática, o professor como mediador terá mais chance de desenvolver a criticidade nos seus alunos, formando sujeitos capazes de se expressar, de se colocar diante das mais variadas discussões.

neide disse...

O professor facilitador/mediador é um educador e também um transmissor de conhecimentos, ou seja é a ponte entre aluno e conhecimento, em que ele deixa de ser apenas aquele que sabe, e o aluno como alguém que só aprende. Pois esse tipo de professor
é aquele que coloca o aluno como sujeito de direitos, e faz com que se tornem pessoas críticas, e participativas no dia a dia de sua aprendizagem.
A parodia realisada pelo grupo nos leva a fletir sobre a importância do ensino aprendizagem, entre professor e aluno.

DANIELLE G.A disse...

Para que o aluno realmente aprenda o conteúdo e não somente decorre para algo avaliativo e necessário e fundamental que o professor seja um facilitador/mediador. Há anos atrás o professor era o que detinha o saber, como autoridade máxima na sala e tudo quanto dizia era visto como verdadeiro sem, ocasião para questionamentos, busca de argumentações e criticas. O que foi mudando com o passar dos tempos esta "visão" que veio se transformando, e com essa transformação a necessidade de uma nova atitude quanto à relação do ensino e aprendizagem.
O aluno é o aprendiz e o professor deve ser o mediador/facilitador, ou seja, facilitar a aprendizagem do aluno a partir de aulas que coloque o aluno em questionamentos acerca de determinados assuntos, podendo colocar suas opiniões, dúvidas e argumentações , para assim obter um aprendizado de fato a partir da interação; como mostra a letra da paródia VOLTEI A ESTUDAR( JÁ SEI NAMORAR-OS TRIBALHISTAS), mostrando que para se ter um bom aprendizado é necessário ter interação entre, professor e aluno como também todo corpo da instituição a partir de diálogos. O professor tradicional bloqueia o aprendizado do aluno uma vez que não explora suas capacidades, diferente do professor mediador/facilitador que ajudará o aluno a lapidar o que ele tem de tão importante como aprendiz; o saber.

Janecléia Soares disse...

A atuação do professor enquanto facilitador/mediador no processo de ensino aprendizagem é imprescindível, apesar das dificuldades que muitas vezes são encontradas em sala de aula, como a falta de motivação do aluno em participar das discussões e da construção do seu conhecimento, ou ainda quando a própria prática do professor já está fortemente arraigada na concepção tradicional, resumindo-se apenas aos métodos didáticos que correspondem a esta teoria. Apesar dos impasses que podemos encontrar para se efetivar uma interação real entre aluno e professor, é necessário reforçar que a profissão docente não é um dom ou algo deste tipo, mas um fazer que se estrutura cotidianamente no percurso de formação inicial e continuada deste profissional, bem como no dia a dia do seu espaço de trabalho. Isso significa dizer que é possível sim a existência da interação, o diálogo e troca de experiências e conhecimentos entre os sujeitos envovidos em sala de aula. Como a paródia acima, e as discussões dos autores estudados, é um processo que depende de ambos - educador e educando - para que a aprendizagem seja de fato significativa.

Anônimo disse...

Um professor facilitador/mediador faz com que suas aulas sejam convidativas e mais agradáveis, abre espaço para que o aluno participe dando opiniões, questione, discuta, contribuindo assim para a formação de cidadãos críticos preparados para atuar na sociedade com sujeito de direitos. A educação adotando esse perfil, tem maiores possibilidades de melhorar a qualidade do ensino e de contribuir a uma melhor aprendizagem.
Rosineide Rodrigues de Arruda

Anônimo disse...

postei este comentario desde o ultimo dia 11/11/2012
Marilene Ribeiro

É importante que o professor seja um mediador, que exerça sua função com o intuito de conduzir o aluno a aprendizagem. O professor como mediador fazendo uso de uma metodologia inovadora por meio da interação e da participação estimula o conhecimento do aluno.