sábado, 27 de outubro de 2012

HISTÓRIA DE VIDA: inclusão digital




           A imagem acima foi elaborada a partir das lembranças efetivas de meu contato substancial com as tecnologias. A primeira tecnologia que me recordo fielmente e no qual obtive contato consensual foi com o primeiro brinquedo (?). Pensando, mais brinquedo, e é uma tecnologia? Claro que sim! A tecnologia é uma técnica avançada para o melhoramento e avanço de um instrumento designado para determinado fim. No caso do brinquedo, fins de entretenimento infantil.
            Quando passei a entender o significado e essência do que estava a minha volta, passei a assistir os meus brinquedos em desenhos animados, paulatinamente, transmitidos pela mídia televisiva, que na época, tinha como foco, em suas manhãs, o público infantil (algo inexistente na atualidade).
            Articulado com a mídia televisiva era a mídia rádio, pois as músicas dos programas e dos apresentadores estouravam como paradas de sucesso, quem não se lembra dos LPs, os da Xuxa, Paquitas, Turma do balão mágico? Sucessos, estes jamais esquecidos e que giravam em torno da WEB 1.0. Novelas como Éramos Seis, Carrossel, fenômenos de audiência por seus temas e cuidados éticos no repasse e elementos de atualizações e informações. Essas mídias eram destaques dos anos 80 e início dos anos 90. Enfatizo que até hoje, ainda prefiro assistir a TV e escutar o rádio em seu molde normal do que através da internet. Esta última se destacou e evidenciou suas categorias, elementos, funcionalidades, especificidades na década de 80, tomando força a partir dos 90 e até o momento, a cada dia que passa está mais consolidada na sociedade e nas relações sociais, profissionais e amorosas.
            Lembro-me que quando estava no ensino fundamental, tive contato, pela primeira vez com a tecnologia da máquina datilográfica, passando a fazer parte do meu quotidiano, todos os meus trabalhos, começaram a ser visualizados de forma distinta dos que eram elaborados manualmente. Não obstante, logo a máquina foi substituída pelo fenômeno – COMPUTADOR – que adentrou em nossos ambientes e caminhos, no meu caso, através da escola que eu estudava. Iniciei a minha vida tecnológica compreendendo o PROGRAMA MS-DOS, no qual aprendíamos a manuseá-lo pelos códigos, a fim de entendermos o seu funcionamento e estrutura. Assim, essa máquina que estava a nossa frente, proporcionou a elaboração de inúmeros trabalhos até o final do ensino médio.
            A minha real efetivação no mundo tecnológico foi através das atividades acadêmicas, quando inserida na universidade no ano de 2000. Neste ano, muitos programas como o Livro Verde, Proinfo iniciaram suas ofertas para os cidadãos penetrarem no mundo digital. Na minha sala de aula, quando cursava ainda a graduação, percebi que 90% dos meus colegas tinham um e-mail e eu não, mas de que adiantava ter essa tal moda, se não tinha nem um computador em casa, quiçá manusear. Um amigo de sala, certo dia, chegou para mim e falou: - Tenho uma surpresa! Quer saber o que é? Eu, claro, curiosa como sou, respondi: - Quero sim, fala logo, do que se trata?
            Ele me levou para o laboratório de informática e me mostrou que havia feito um e-mail para mim, na verdade dois para que eu pudesse utilizar o MSN e assim conversar com pessoas que jamais tinha visto e outras que estavam distante e as que estavam tão perto. Vi-me com medos, anseios, acanhada, pessimista, mas compreendi, de certa forma, o quanto aquela ação só iria me beneficiar. Foi através dela que me iniciei no trabalho acadêmico de fato, como pesquisadora, além de também trabalhar no ramo administrativo na mesma instituição.
            Foi assim que tive contato e emergi no mundo das mídias e TIC, em que uma simples ação de amizade fez-me perceber o quanto valia a pena investir, sem receios, percalços e danos na sociedade da informação. Por causa dessa ação, valiosas e significativas foram as experiências ao longo desses 12 anos insurgidos no contexto da sociedade da informação. Lugares que só eram vistos por estudos didáticos, puderam ser visitados pessoalmente, destaque para a região (foto abaixo) paraguaia – HUMAITÁ, cenário da guerra da tríplice aliança, na qual só sabemos da existência pelos livros didáticos de história. Além de proporcionar o enriquecimento teórico-prático, quando participamos de congressos, seminários, encontros, com o propósito de divulgarmos as pesquisas e trabalhos desenvolvidos, assim como assistir a outros da área específica de conhecimentos e interessantes para o nosso quotidiano de estudos.




            Logo, esses instrumentos se tornaram indispensáveis a minha prática pedagógica, pelo simples fato de auferirem uma conotação nova necessárias para a relação entre sujeitos para o fortalecimento da formação do cidadão. Ao me tornar professora universitária, foi possível analisar que esses fenômenos – INTERNET – COMPUTADOR – CELULAR, não são seres vivos, e sim apenas instrumentos manipuladores que estão em nosso dia-a-dia profissional, pessoal e até amoroso. A grosso modo identifico que o meu anseio é pelo vício que os jovens atualmente obtém utilizando esses recursos e instrumentos, que para alguns não trazem benefícios nenhum, infelizmente. Então, me pergunto: o que fazer? E, como diz Lévy (1999), será que o dilúvio informacional jamais cessará? Penso que, de certa forma, as TIC integram um trabalho com maior adequação ao planejamento, mas porque a maioria dos professores não conseguem adequá-las a sua prática pedagógica?

19 comentários:

BeckCarvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lariissa Saantos disse...

Nasci por volta de 1990, ano em que segundo Carvalho (2006) Robert Cailliau (um físico belga) reformula e formaliza a proposta de Tim Berners-Lee (britânico, físico e engenheiro de software) para a Word Wide Web (WWW), um marco importante, e porque não dizer fundamental, para o desenvolvimento da internet. De certo, um acontecimento que não afetaria em nada ao meu nascimento, mas ajudaria a revolucionar minha primeira década de vida.
Filha de pessoas humildes, meus primeiros contatos com a tecnologia resumiram-se as dificuldades financeiras que uma família de classe baixa teria. Lembro-me de ouvir o rádio durante toda a manhã e, às vezes, no período da tarde também, minha mãe deveria ser fã dos programas, não passava músicas infantis, mas sempre que ela me via sem ter o que fazer colocava uma fita cassete da Xuxa ou do grupo Mulekada, para me entreter enquanto ela fazia os afazeres domésticos.
Como a Xuxa e a garotada do Mulekada chegaram a minha casa? Fácil, pela televisão. Outro importante meio tecnológico em minha vida, lembro-me que os via em preto e branco, mas quando olhava a capa da fita cassete ficava encantada com a quantidade de cores que ela os atribuía. Os desenhos animados, quando finalmente chegou a TV em cores, ficaram ainda mais encantadores, ver Timão e Pumba era tudo que eu queria pela manhã. Porém, sem esquecer que as minhas tecnologias preferidas, eram aquelas em que eu poderia brincar com meus amigos em frente a minha casa, conversar e conhecer coisas novas cada dia que se passava, de forma prática, de forma a explorar e descobrir.
Acredito que minha infância, assim como a maioria da infância dos brasileiros nessa década foi à última infância com direito a brincadeiras e ser criança de verdade em nossa geração. A geração que surgiu a partir de 2000, até os dias atuais, perdeu de maneira instantânea o sentido de brincar e se realizar ao descobrir o mundo a nossa volta. A internet, citada no início desse comentário, e todos os aparatos tecnológicos que chegaram ao nosso alcance a partir daí (telefones, celulares, computadores, Wi-fi, etc), transformaram não só as crianças desta nova geração, como também os jovens e adultos, nos mesmos modelos de robôs que existiam na época industrial, parecendo que todos vieram ao mundo apenas para reproduzir. Digo isso porque, afinal, muitos deles usam esses meios, que acredito terem surgidos com fins benéficos sendo uma forma de se ampliar ainda mais o conhecimento, para realizar atividades no dia a dia que apenas alienam e induzem as pessoas cada vez mais ao desconhecimento.
Lembro-me perfeitamente que o único meio de comunicação que eu sabia manusear para falar com as pessoas distantes era a carta, eu já sabia escrever aos meus 5 anos de idade, e já escrevia cartas e via minha mãe escrever aos 8. Também a via ir para a central de telecomunicações, ligar para parentes distantes, mas era raro, e a carta era mais barata para enviar.
O celular entrou na minha vida aos 14 anos, o computador aos 15, e a internet aos 18 anos, em uma Lan House. Passei 3 anos aprendendo a manusear o computador apenas para fins escolares e de trabalho, e me interessei para conhecer a internet porque queria também entrar no mundo das redes sociais. Afirmo aqui que esses momentos foram significativos para minha inserção na era tecnológica, foi a partir daí, e de finalmente trazer a internet para minha casa, que comecei a me instalar nesse mundo virtual e admito que por um tempo tenha preferido a ele ao invés do momento real que estava passando.
Após essa inserção descobri que o mundo ao qual eu pertencia não existe mais a não ser em meus pensamentos, e os resultados benéficos que a tecnologia me trouxe mudaram minha visão de mundo, e isso foi fundamental para unir o útil ao agradável na minha busca de conhecimento, e na minha inclusão no mundo acadêmico, facilitando minha aprendizagem. No mais, acredito que este mundo digital em que agora estamos inseridos, ainda possa contribuir bastante com nosso desenvolvimento, desde que o utilizamos de maneira adequada.

Janailda Oliveira disse...

Nasci na cidade numa cidade do interior do RN no ano de 1979 onde a única fonte de tecnologia que existia lá era o rádio. Lembro-me bem que só vim conhecer a televisão quando eu já tinha por volta dos 7, 8 anos de idade e só fiquei fascinado por essa tecnologia nos anos 90 assistindo programas infantis como Xuxu, Mara Maravilha, Angélica e outros. Foi nesse ano a que vim morar em Delmiro Gouveia e junto com a minha família passamos a utilizar o telefone que naquela época tinha que ir ligar numa telefonia chamada Telasa para termos contato com os outros familiares e a carta que era um meio mais fácil e barato de se comunicar.
Com o computador meu primeiro contato foi por volta do ano de 1998. Quando eu tinha 19 anos e trabalhava em uma empresa de material de construção. Tudo começou porque as empresas daquela época tinham todas que serem informatizada e como eu trabalhava de operadora de caixa tive que fazer um curso de informática e ficar amiga da mais nova novidade! Mais habilidades mesmo com essa nova informação só vim adquirir depois que entrei na faculdade por conta dos trabalhos e das trocas de E-mail que passou a existir entre os colegas.

Anônimo disse...

38Dayse Maria de Souza Morais
As mudanças das TIC’s e suas influências na minha vida...
Nasci em agosto de 1989 exatamente há 23 anos e as TICs que hoje sei o seu significado, o que antes não tinha nem noção de que é um conjunto de elementos tecnológicos que auxiliam a comunicação entre as pessoas e transmite informações através dos recursos e aparelhos tecnológicos como: tv, radio, aparelho de telefonia móvel ou fixo, jornais, computador, internet, webcam e outros, todos esses reconhecidos a bastante tempo porem para mim não compreendia a sua importância durante infância.
Mas sabemos que não é somente estes existem varias maneiras diferentes que são considerados elementos das TIC’s e com o passar dos anos fui percebendo o quanto necessitava destas tecnologias. Foi através da tv o meu primeiro contato, não podia ficar nenhum momento sem assistir as novelas preferidas, muitas vezes me faziam rir e depois chorar me comovendo com algo que era transmitido e ao qual as historias não era real e sim fictício já neste momento era manipulada sem ao menos perceber. A partir deste momento já na adolescência ganhei meu primeiro celular dos meus pais fiquei bastante feliz a partir dai comecei a me comunicar com os amigos com maior facilidade, pois em vez de vê-los pessoalmente para conversar falávamos a distancia a e a comunicação era satisfatória da mesma forma.
E também aprendi que as TIC’s tem uma grande importância no ambiente de trabalho, melhorando a produtividade, atua na educação, sendo utilizados como facilitador da aprendizagem dos alunos. Passei então a usar o computador para trabalhos escolares a partir dai comecei a participar de redes sociais e fazer novos amigos virtuais ate nos dias atuais.
Hoje posso afirmar que não saberia o que fazer se não existissem as tecnologias da informação e comunicação que é através destes recursos que posso me atualizar diante dos acontecimentos que ocorre no Brasil e no mundo através dos telejornais. E foi então que pude perceber que com o avanço das sociedades, essas modernidades podem tanto trazer uma perspectiva positiva ou negativa para o individuo de acordo com a finalidade para o qual se utiliza desta do mundo digital.

Anônimo disse...

Marcelo Nascimento SIlva

Nasci em 1989, ano em que as tecnologias estavam começando se massificar, pois naquela época não era comum o uso de computadores e celulares(tecnologias com grande destaque nos dias atuais), eram poucas as pessoas que faziam o uso desses meios eletrônicos.
A tv foi a primeira tecnologia(eletronicos)que fez parte da minha vida, minha infância foi marcada pelos desenhos que passavam toda manhã,onde os mesmos teve uma pequena parcela de contribuição no meu desenvolvimento como cidadão. com 10anos de idade comecei a ver a televisão com outros olhos, passei a ter uma visão mas critica sobre o conteudo que passava na programação,percebi que o verdadeiro objetivo desse meios de comunicação era alienar(mas não vem ao caso).
As TICs passaram a contribuir na minha vida com mais intensidade no ano de 2008, periodo em que a internet veio se desenvolvendo rapidamente nos lares brasileiros.
A internet não é apenas uma ferramenta de comunicação e de busca,processamento e transmissão de informações que oferece alguns serviços extraordinários;ela constitui além disso, um novo e complexo espaço global para a ação social e, por extensão, para o aprendizado e para a ação educacional(Castells, 2001). A internet tem e teve grande contribuição no meu desenvolvimento educacional, pois, possibilitou novos caminhos de pesquisa.

BeckCarvalho disse...

Nasci pouco tempo depois da formalização da internet, mas só tive contato com ela anos depois. Sou natural de Maceió/AL, cheguei a este mundo no dia 22 do mês de setembro de 1993. Durante minha infância eu era muito ligada a radiola - amo música! -, pois, sempre fui muito "quieta" e minha mãe colocava discos para que eu pudesse me 'animar'. Por incrível que pareça a TV ficou em segundo plano. Lembro-me bem do primeiro contato com o Mundo Virtual, mais precisamente em 2003, quando cursava a 5ª série. Recordo-me que no dia, estava bastante ansiosa para a minha primeira aula de Introdução a Informática. Quando finalmente chegou a hora... travei. Ansiedade, medo e felicidade se fundiram fazendo com que eu paralisasse perante o 'Sir Computer', como meu professor o chamava. Nesse período usava a internet apenas para pesquisas com fins didáticos. Em 2006, minha querida professora Melina, criou o meu e-mail, utilizado por mim até hoje, onde eu poderia enviar mensagens instantâneas e receber e-mails. Depois disso não parei mais... agora tenho tudo que é 'conta'... Facebook, Twitter, MySpace, entre outros.
Ao ingressar na universidade, percebi que a internet pode ser usada e aproveitada de várias formas, antes visada como como uma simples forma de 'lazer', passatempo, hoje fonte de conhecimento. Atualmente uso a internet, diga-se de passagem, com bastante intimidade, e espero conseguir extrair, cada vez mais, benefícios para a minha formação acadêmica.
Em meio a tantas facilidades oferecidas pela Web, ainda prefiro me relacionar 'ao vivo e a cores', sentir o calor humano, troco uma hora em frente ao PC por vinte minutos de uma conversa 'téte a téte'.

Rebeca Carvalho

P.S: Me adicionem no Face'. rsrs.

Anônimo disse...

Nasce em 1987 onde tecnologia era só coisa para rico, sempre fui humilde e nos primeiros anos da minha infância nem uma televisão ou rádio tenhamos em casa, então como uma criança qualquer meu primeiro contato foi com a televisão onde eu aproveitava da boa vontade dos vizinhos.
Apesar da dificuldade consegui ter um contato mais intimo com a televisão por volta de 1992, adora os programas infantis não perdia nenhum.
Meu primeiro contato com o telefone foi pela Telasa, onde sempre ia conversar com os parentes e amigos mais distantes, depois tudo foi ficando mais próximo quando surgiram os telefoenes residenciais e só em 2004 eu tive a oportunidade de ter um celular que não sabia nem ligar.
Já com o computador só tive contato no final de 2005 quando decidir fazer um curso de informática, o que não me ajudou muito já que não tinha contato constate com essa tecnologia, hoje sou mais ativa precisei me educar tecnologicamente para poder me desenvolver no trabalho e na universidade.

Leandra Moraes

Jane Clécia Barros disse...

Eu nascim em 1991,sempre morei no interior da minha cidade, la nuca teve tanto uso de tecnologia, o meu primeiro contato com as tecnologia foi com a televisão,ate hoje ainda mim lembrou o dia que eu chegei em casa da escola, la estava uma televisão, fiquei encatada, e queria logo liga e começa aver tudo o que se passava. Era todo tão novo por que fazia pouco tempo que a energia tinha sido cologada onde eu morava. Era todo taõ facinater afinal eu era uma menina de 6 anos.
As TICs tem um significado muito importnate, pois e por meio dessas facinante tecnologia que sempre estamos sendo imformadas sobre todo que aconter no mundo.Com uma rapidiz ineplicavél. as tecnológicos que auxiliam a comunicação entre as pessoas e transmite informações e a tv, radio, aparelho de telefonia móvel ou fixo, jornais, computador, internet, webcam.
o meu primeiro contato com o computador foi em 2008, quando comecei a estudar na cidade, foi na casa da miinha irmã.

Kátia dos Santos disse...

Meu primeiro contato foi com a televisão, simplesmente me fascinavam os desenhos, as novelas e os programas infantis, não perdia e devo confessar que até hoje gosto. Depois de um tempo veio o celular e o computador. Trabalhava em uma loja e tinha acesso ao caixa, onde tivemos treinamento específico para manusear alguns programas, pois até o momento o que conhecia era o básico que aprendi em um curso de informática.
Tive acesso à internet por meio de Lan House, de início fui influenciada por minhas amigas a criar uma página de rede social, pois até então eu não gostava, mas como quase todas tinham e, estava passando muito tempo sem elas, foi uma forma de nos aproximarmos. Hoje faço uso da internet não só para manter contato com alguns amigos e familiares distantes, mas também para pesquisas e tantas outras coisas.
Sabemos da importância da educação para melhorar o futuro da sociedade. As metodologias usadas antes não funcionam muito bem neste novo mundo tecnológico. Os jovens de hoje não se concentram em uma didática tida como ultrapassada, isso por que fora da escola tem um mundo muito mais atrativo influenciados pelos meios tecnológicos.
Essas novas tecnológias se utilizadas de forma adequada podem contribuir na aquisição de novos conhecimentos, expandindo os limites da aprendizagem e facilitando para que os indivíduos tenham uma melhor percepção do mundo.
Ao contrário das crianças de hoje em dia, que têm sua infância tão submissa a esses aparatos tecnológicos, posso dizer que mesmo sendo de uma época que não dispunha de tantas coisas atrativas aproveitei bastante minha infância e quem sabe até melhor.

QUITÉRIA FERNANDES disse...

Nasci no ano de 1993 em um pequeno município de Água Branca, filha de pessoas humildes tive algumas dificuldades relacionadas aos meios tecnológicos, como por exemplo, com o computador, porém o meu primeiro contato foi com o rádio e a TV. Quando criança eu gostava muito de ouvir musicas, mas sempre tive maior preferencia pela TV por conta dos desenhos animados, com o passar dos tempos mudei o foco para as novelas e outros programas. Após alguns anos ganhei um aparelho celular, fiquei muito feliz, pois através dele poderia manter contato com algumas pessoas que estavam distante e também enviar e receber mensagens. Por último, já agora na graduação pela necessidade de realizar os trabalhos, ganhei um computador e comecei a participar das redes sociais, mas antes de entrar na universidade e até o primeiro período do curso o computador para mim era visto como um "bicho de sete cabeças"pelo fato de não saber manusea-lo.No início do curso(1º período)sofri bastante por conta dessa dificuldade.Era muito ruim,eu me sentia um peixe fora d´água vendo todos os meus colegas manusea-los e eu não.Mas com o passar dos dias, com a ajuda dos meus colegas,comecei a aprender a usa-lo. Hoje não sei tudo, mas obtive um grande avanço, pois consigo realizar meus trabalhos, entrar em sites da internet e dentre outros.Hoje vejo o quanto é significativo esses aparelhos e o quanto tem facilitado a nossa vida, como ppor exemplo o computador que ligado a internet sabemos o que acontece em qualquer parte do mundo.

jane cristina disse...

Quando eu tinha 15 anos tive meu primeiro contato com a tecnologia foi no ensino médio onde a escola que eu comecei a cursar possuía uma sala de informática e agente tinha aulas nessa sala. Longo depois me interessei a fazer um curso de informática ai me aproximei mais do computador. Com 16 anos, de aniversário ganhei um celular; nossa para mim aquilo foi incrível. Mais o momento que a tecnologia foi mais importante foi quando entrei na universidade, pois precisava fazer os meus trabalhos com isso a tecnologia mim ajudou muito e também aprendi muitas coisas que eu nem imaginava aprender com a tecnologia. Hoje tudo mudou pós agora pesquiso minhas atividades escolares e fico em contato com quem está longe de mim, e tudo isso graças a novas tecnologias.

Adhja Lyllian disse...

Adhja Lyllian

As mídias entraram na minha infância mais ou menos quando eu tinha uns cinco anos, assim que meu pai faleceu minha mãe comprou uma televisão como forma de distrair a casa. Lembro-me que era a maior zorra, pois era somente uma televisão para cinco pessoas, imaginem a confusão, mesmo assim eu lembro que passava horas assistindo meus desenhos favoritos e claro, a Tv Xuxa né. Depois que cresci meus programas favoritos foram mudando, comecei a assistir programas mais da minha idade.
Minha mãe queria muito ser chique, logo mandou colocar um telefoen em casa, tão simples mais nem sabíamos como utiliza-lo, quando queríamos falar com algum parente íamos para um orelhão que ficava em frente a Escola Delmiro Gouveia quase toda noite, era preciso comprar uma moeda para conseguir fazer a ligação depois uma vizinha colocou um na casa dela e utilizávamos o da casa dela.
Por volta dos meus 14 anos fui morar com minha tia em Paulo Afonso, assim as condições financeiras aumentaram devido aos status dela, começou outra forma de paixão pelas mídias, agora podia comprar os cds que eu quisesse, cantar e me apaixonar pelas musicas, lembro que passava o dia inteiro com o som ligado ouvindo todos os cds que minha tia me dava, a noite eu me juntava com algumas colegas para ficarmos cantando e se divertindo escutando o grupo Rouge (ninguém merece né?), de forma que trocávamos de cds por dias, tinha ate horas que nem sabíamos onde estavam os mesmos.
Mais a minha atenção volta novamente para as televisões, mais não era com programas de televisão não, agora era com os dvds, passava horas assistindo os meus dvds, era emocionante assistir aquilo em tempo quase que real. Era emocionante reunir com as colegas de escola para ver aquele dvd que estava fazendo o maior sucesso.
Agora chega a era que todos desejavam, a era do computador e junto com ela vários meios tecnológicos como o pendrive, hd... Sem comentar as redes sócias que fascinam e deixa as pessoas com maior contato tecnológico.
O que eu posso relatar que as tics me ajudaram foi na evolução com o meio educacional, pois com as tics eu consegui maior aprendizado devido a forma simplificada é possível ter qualquer conhecimento com agilidade e rapidez.
Assim minha vida mudou totalmente devido ao uso constante das mesmas, é como se a vida ficasse sem graça e sem divertimento sem elas, ate hoje sou viciada em dvds, cds e na minha vida universitária é preciso uso constante das mídias para consegui conciliar com as disciplinas.
o celular nem comento pois sem ele eu não sou ninguem.

Ismaely Brandão disse...

Nasci, no ano de 1991 como sou a filha mais velha dos meus pais, a comunicação chegou atraves da TV e do rádio, a partir dos meus 5 anos, principalmente a televisão, onde adorava assistir os desenhos Pica-pau, ursinhos carinhosos, capitão caverna e cavalo de fogo.A partir dos oito anos comecei a me interessar pelos jornais e as novelas e a ouvir músicas. Ao chegar a minha adolescencia, ganhei o meu primeiro celular e a interagir com o computador na internet, tanto por meio das redes sociais como por trabalhos escolares do ensino médio.Comprei meu computador quando ingressei na faculdade, para facilitar na elaboração dos trabalhos e na comunicação, pois antes utilizava por meio de Lan House.As novas tecnologias tem grande importancia na minha vida,pois me permite comunicar e interagir com as pessoas,antes de conhecê-la eu não tinha toda esta interação no mundo virtual.
outra importância das tecnologias é na minha profissão, como sou professora da educação infantil,utilizo das tecnologias para dar aula aos meus pequeninos,na busca de pesquisas nas redes sociais em busca de metodologias novas para torna a aula mais dinâmica,ensino aos meus alunos a importância das tecnologias para que desde pequeno eles aprendam a interagir com este mundo comunicativo.Os meios tecnologicos é de suma importância tanto na minha vida profissional quanto na faculdade. E hoje com aulas das tic´s me possibilita compreender melhor esse mundo das novas tecnologias e a cada dia se aperfeiçoando mais.

Suilamys disse...

Eu nasci no ano de 1992, em minha vida a comunicação chegou por volta dos meus 5 anos, quando comecei a assistir TV e ouvir rádio, costumava assistir alguns desenhos e programas infântis, mas sempre preferi o rádio do que a televisão, pois gosto mais de ouvir música, que asistir.Na minha adolescência minha irmã me deu um celular, que até hoje é a tecnologia que prefiro, o computador utilizo mais para fins de trabalhos da faculdade e a internet; não sou muito focada nas redes sociais.
A comunicação proporcionou facilidade de interagir com o mundo, pois é um bem necessário para viver no mundo das tecnologias,embora tenha tido algumas dificuldades no começo, hoje vejo que esses diversos meios de comunicação, se usados de maneira correta, podem facilitar, e muito nossa vida, pois nos proporciona uma melhor compreenção sobre tudo que acontece a nossa volta, e também nos mantém sempre atualizados.
Esses meios tecnologicos são de extrema importância, pois de certa forma somos obrigados a inseri-las em nossa vida,pois os avanços do mundo nos levam a isso, e facilita muito nossa forma de se comunicar com as outras pessoas e com o mundo em geral.

DANIELLE G.A disse...


Nasci no ano de 1989, onde na infância meus primeiros contatos com as (TIC) tecnologia da informação e da comunicação, foi a TV e o rádio, prevalecia a TV, lembro que assistia desenhos como o pequeno príncipe, pica-pau, timão e pumba, os ursinhos carinhosos, tico e teco, estes foram os meus preferidos. E com o passar dos anos nesta época ocorrem transformações em todos os setores de nossas vidas, inclusive tecnológicos que vinha ganhando cada vez mais destaque, o outro meio tecnológico que me possibilitou comunicação foi o aparelho telefônico, provavelmente em 1999, fiquei encantada, utilizar desse meio que estava nos lares de famílias humildes como a minha, meus pais fizeram um esforço para comprar com a necessidade de se comunicar com minha avó que mora longe e fazia anos que tínhamos falado com ela. Em 2007 ganhei meu primeiro aparelho celular, além de me comunicar foi de grande importância pois, poderia explorá-lo fazendo modificações no mesmo, com fotos, mensagens, vídeos, músicas. Lembro-me que no ensino fundamental maior não tinha nenhuma familiaridade com o computador, e as professoras já pediam trabalhos que fossem digitados, como eu e minhas colegas não tínhamos computador e não sabíamos utiliza-lo em uma Lan House, não utilizávamos da internet e as pesquisas também eram pagas, fazíamos manualmente todo o trabalho entregávamos a alguém para digitar uma vez que só tinha computador quem tinha uma boa condição financeira; a internet é o maior banco de dados do mundo de informações, pesquisas diversificadas, dentre varias pessoas conectadas a rede, cada qual possui conhecimentos variados prontos a compartilhar por meio de avanços tecnológicos, e tornando a nossa vida mais cômoda. Se tratando de pesquisa em 1998, Lary Page e Sergey Brin fundam o google, uma nova rede social de busca,para facilitar nossas vidas, como meio interativo a internet dispõe de vários recursos como:bolg,weblog,Orkut,facebook,Twiter,smn,E-mail entre outros.Em 2007 comprei meu computador comecei um curso de computação para que pudesse manuseá-lo, e como o mundo vive na busca desenfreada pelo sucesso profissional, e esse sucesso de certa forma exige das pessoas uma inclusão no mundo digital, para obter conhecimento para desempenhar um bom trabalho aplicando assim em nossa sociedade,tive que aprende e me adaptar a tantos recursos, o que me favoreceu bastante como quando entrei na universidade,que deparei-me com a necessidade de ter acesso à internet, saber digitação rápida, ferramentas e programas que o computador disponibilizava, tive que aprender e hoje não sou gênia no assunto mais consigo fazer com facilidade o que antes para mim era um absurdo. Quando se fala em TIC, considero que é de grande importância para o homem uma vez que nos ajudou na rapidez,acessibilidade e comodidade. Fabiana Komesu afirma que “A importância das tecnologias digitais na vida humana é uma questão de interesse nos variados domínios do saber. A várias criticas sobre o progresso das tic´s no meio social,sempre vai existir , concordo com Pierre Lévy quando declara que as tecnologias não tem o papel de ser bom ou ruim e sim o uso que o homem faz dele é que será um beneficio ou um maleficio. Elas estão ai para uso da humanidade, basta saber como se utilizar. Aos poucos estas tecnologias adentraram em minha vida. No começo com algumas dificuldades mas nada que a prática possa aperfeiçoar. Sei que esse ingresso no mundo das tic´s ainda vai me trazer grandes benefícios na minha vida pessoal, social e principalmente no lado profissional, uma vez que ela me proporcionara conhecimentos para investir na criação de competências criativas a essas tecnologias.

Mirian Amorim disse...

Venho de uma cidade baiana chamada Paulo Afonso e nasci em novembro de 1963, numa família de 11 filhos, e apesar de já existir tecnologias nessa época, demora demais a chegar nas nossas casas.
Na época, só conhecia o rádio e até novelas era através dessa tecnologia.
A televisão ainda era uma realidade longe, mas para meu orgulho, a primeira repetidora de televisão que foi instalada em Paulo Afonso, foi trabalho do meu pai Nilton Amorim, através da CHESF, hoje funcionário aposentado pela mesma empresa e ai vieram os primeiros aparelhos de televisão e mesmo assim, poucas famílias tinham acesso e como morávamos em um acampamento da CHESF, costumávamos dividir com outras tantas famílias, colocando o nosso aparelho na porta da casa e os vizinhos vinham com seus banquinhos, ahhh e sem esquecer: era preto e branco, tá!!
Em seguida chega em minha casa o telefone fixo, que a CHESF destribuia nos setores e nas casas de funcionários como engenheiros, médicos e técnicos responsáveis por determinadas áreas (no caso do meu pai era a área de telecomunicações) e era utilizados como ramais (ainda lembro o número de casa:"457"), para se falar com qualquer pessoa tinha que solicitar a central telefônica.
Telefone móvel (celular), só vir a ter acesso no ano de 1999, já morando no estado de Alagoas e trabalhando em Sergipe e era muito muito difícil se conseguir uma ligação através desses aparelhos.
Em relação ao computador,só tive acesso no ano de 1998 e confesso que relutei em mexer nessa ferramenta, talvez por vergonha de não conhecer nada em relação a ele e meus companheiros de trabalho ficavam forçando a barra e dizia: vem pra cá aprender que ele não morde...rsrsrsrs...quanto a internet propriamente dita, só tive acesso no ano de 2005 e confesso que fiquei fascinada (ainda sou) e adoro pesquisar, mas só depois que voltei a estudar depois de 20 anos afastada, reconheço a importância dessa tecnologia, seja como meio de comunicação ou de interação!!!

giselly disse...

As TC’s, são todos os meios de tecnologias e comunicação, deste modo não tenho uma certa época em que entrei em contato com elas, pois desde o meu nascimento já existia várias formas de se comunicar. Nasci Crescí, e me criei assistindo televisão, ouvindo rádio, e com isso não posso dar uma data concreta de quando me adaptei á elas.
Vinda de uma família humilde, nunca tive luxo, mas o importante não me faltava, o básico sempre teve, e nunca senti falta de nada, porque tinha tudo o que precisava. As tecnologias que tínhamos eram as simples, como citei a televisão e o rádio. Na época, era só uma e tinha toda uma confusão para ver quem assistiria ou ouviria o que. Lembro que minha mãe instalou um telefone,com o objetivo de falar com os parentes que moravam distantes, porque antes se falava por orelhão e ela gastava muito com as fichas telefônicas. Mas não deu muito certo porque, eu e meus irmãos ficávamos ligando para qualquer número só pra ter o prazer de ligar. Era uma forma que tínhamos de passar o tempo. Com pouco tempo depois de ter aderido a linha minha mãe resolveu cancelar por motivos maiores.
Mas o momento mais significativo ao adentrar nas TIC’s foi quando completei 11 anos, que minha mãe me colocou numa escola de informática, era tudo muito novo e complicado para mim, já que não tinha tido nenhum contato com internet ou computador, antes disso. Porém consegui aprender o básico e me sair bem. Lembro que na rua em que morava as minhas amigas ficavam todas dizendo que eu era inteligente e tal, porque sabia mexer em computador. Depois disso minha mãe deu um celular para a minha irmã, deixei o computador de lado e queria de todo modo ter um também. Quando consegui o meu, não tirava o olho dele, foi como se tivesse realizado um “sonho”.
Depois que adquirir algumas tecnologias que não tinha e aprendi a lidar com elas, conseguí me sair melhor na escola, porque já fazia trabalhos digitados. Conheci um mundo novo, e mudou a minha forma de pensar, porque antes era tudo muito limitado. Consegui ser mais criativa. A inserção da internet e do celular em minha vida, me deu novos meios de me expressar, novas formas de se comunicar. Sem dúvidas estava entrando em um mundo que até então não conhecia. No inicio foi um pouco prejudicial, porque ficava com aquela vontade de ver a internet e de mexer no celular. Mas depois foi se tornando cada vez mais útil . De modo que consegui um trabalho numa clinica quando tinha apenas 14 anos, porque sabia algumas coisas dessas tecnologias. Deste modo juntou-se o útil ao agradável, porque fui contratada pra fazer uma coisa que estava descobrindo e consegui aprender muito mais com isso, sem falar que não tinha computador em casa e lá no trabalho além de fazer minhas obrigações, podia ver as redes sociais.
Em fim, hoje não sei como seria o mundo sem o advento das tics, pois depois que se tem o acesso, fica difícil viver sem elas.

Anônimo disse...

postei este comentário desde o ultimo dia 11/11/2012

Marilene Ribeiro

Durante a minha infância não tinha conhecimento de nenhum aparato tecnológico. Telefone nessa época era para poucos da cidade de Delmiro Gouveia. Tive contato com o telefone pela primeira vez na casa da minha madrinha. Lembro-me com precisão que sonhava em ver na minha casa uma TV, até que certo dia estando na casa de minha avó na zona rural deste município um amigo da família disse que meu pai havia comprado uma TV em preto e branco “usada”. Que felicidade a minha! Não sabia onde colocar tanta felicidade. Com o passar do tempo, já com uns dez anos de idade tive mais uma alegria meu pai comprou uma TV de 14”desta vez em cores.
Algo inovador foi o celular, também poucos o tinham. As pessoas tinham orgulho de andar com aqueles celulares enormes e falarem ao telefone nas ruas da cidade. Depois disso vem o computador também era para poucos pelo alto custo. Meu primeiro contato com computador foi quando estudava o Ensino Médio na Escola Vicente de Menezes, por que na mesma havia aula de informática, que durou pouco tempo, mas antes disso só o conhecia por nome. Faz pouco tempo que fiz um curso de informática básico mesmo não tendo um computador em minha casa. Quando comprei meu primeiro computador foi algo revolucionário, que hoje posse dizer que é essencial na minha vida.
Sendo assim, posso afirmar que atualmente as tecnologias fazem parte das minhas necessidades diárias, como também de todas as pessoas que as usam.

regiane neres disse...

Meus primeiros contatos com as TICs.
Nasci por volta de 1991, meus pais me contam que sempre gostei de assistir TV e ouvir o rádio era gamada em programas infantis, gostava e ainda gosto de desenhos. Mas para tudo tinha o seu tempo, se minha mãe não desligasse a TV, ah fica o dia todo assistindo desenho, por isso ela sempre separou o tempo de brincar e de assistir. Lembro-me bem dos momentos que brincava de boto se esconde, brinca de casinha com a Barbie, era muito divertido posso dizer que em relação às crianças atuais brinquei bastante. Aos 8 anos ganhei um vídeo game, jogava diariamente, brincava muito nesse período meu pai já tinha um celular que comparado aos atuais era um tijolo porém eu achava lindo, mas não me deixavam meche nele todo tempo, e apesar de ser curiosa não dava tanta importância. Aos 12 anos ganhei o meu próprio celular, nem sabia ao certo a importância da tecnologia, usava o celular para jogar depois de um certo tempo adicionei os primeiros contatos e a parti desse momento não parei de usar as tecnologias que a princípio não dava tanta importância, logo depois tive o meu primeiro contato com o computador que se deu por meio de uma pesquisa escolar quando estudava o 6º ano, não fiz nenhum curso de informática aprendi a manusear o computador na prática, até então fazendo trabalhos escolares, já na universidade tive um contato maior com as redes sociais a partir disso passei a mim comunicar via internet.

O mundo todo, passado e presente, agora se desvendam aos nossos olhos como uma planta a crescer num filme extraordinariamente acelerado (MCLUHAN, 2000).
Mª Regiane f. neres